Foto: Reprodução/Twitter

Uma pessoa denunciou João de Deus, suspeito de abusos sexuais durante atendimentos espirituais, ao Ministério Público da Bahia (MP-BA). O órgão participa da força-tarefa nacional que atende mulheres que afirmam terem sido vítimas do médium. Os possíveis casos, conforme o MP, serão analisados pelo Núcleo de Apoio à Vítima de Estupro (Naves), e encaminhados para o Ministério Público de Goiás, que tem atribuição legal para apurar os fatos e instituiu uma força-tarefa para investigar o caso.

As mulheres podem procurar o Grupo de Atuação Especial em Defesa da Mulher (Gedem), na Rua Arquimedes Gonçalves, nº 142, no bairro de Nazaré, em Salvador. O contato com o MP-BA pode ser feito também por meio dos telefones (71) 3321-1949 ou 3103-0345/0610, e pelo e-mail [email protected]

Denúncias 

As denúncias contra João de Deus foram reveladas durante o programa Conversa com Bial, da TV Globo. Após a repercussão do caso, o Ministério Público de Goiás (MP-GO) montou uma força-tarefa nacional para investigar as denúncias de abusos sexuais e outros crimes atribuídos ao líder religioso. Até a quinta-feira (13), 330 mensagens e contatos por telefone foram recebidos pelo órgão.

Os abusos teriam ocorrido desde a década de 80 até outubro do ano passado. Segundo o MP-GO, já existem denúncias contra João de Deus desde 2010. Em 2012, ele chegou a ser julgado por abuso sexual, mas foi inocentado por falta de provas.