Foto: Reprodução

A Coelba foi impedida pela justiça, nesta quinta-feira (11), de cortar a energia da casa de uma criança de 8 anos que possui hidrocefalia, em Itapetinga. Após procurar ajuda da Defensoria Pública, a mãe da criança garantiu que o tratamento, que está sendo feito dentro de casa e depende de energia, continue provisoriamente.Além de hidrocefalia, a criança também tem um tumor na região pineal. O menino foi submetido a uma neurocirurgia em 2017 e, desde então, necessita de cuidados médicos intensivos e contínuos. Ele tem seu tratamento realizado dentro de casa, onde foi montada uma espécie de UTI, e a energia elétrica é o que garante que continue vivo.

No entanto, a demanda de energia cresceu consideravelmente nos últimos meses. Até janeiro deste ano, a conta chegava com o valor de R$6,00. No mês seguinte, quando o tratamento migrou para a residência, o valor passou a ser de R$645,89. Em março, chegou à R$838,02. As contas ficaram em aberto, e um débito automático de R$1.039,52 foi inserido na fatura.

A mãe da criança, Charlor Pereira Viana, teve que recorrer à defensoria pública, pois a renda familiar não suporta pagar esses valores. Imediatamente, o defensor público Matheus Silva Bastos ajuizou uma ação em caráter de urgência, pedindo que a energia não fosse cortada. O pedido foi acatado pela justiça.

Porém, de acordo com a Defensoria, o julgamento ainda pode voltar, e a medida é provisória. As contas permanecem em aberto, mas a energia não será cortada de imediato. Na residência do menino estão instalados aparelhos de monitoramento, oxigenoterapia, ventilação mecânica e alimentação por sonta, que ficam ligados 24 horas por dia. // BN