Bolsonaro, Silas Malafaia e Magno Malta

O pastor Silas Malafaia aparentemente não gostou da indicação de Osmar Terra para o Ministério da Cidadania. Ele esperava que após a campanha intensa de Magno Malta a favor de Bolsonaro, o senador ficasse ao menos a frente de alguma pasta no novo governo. “Minha filha, aprendi uma coisa: gratidão é memória do coração”, diz o pastor, que recentemente gravou um vídeo em apoio ao senador capixaba que ficará sem mandato em 2019. Segundo o entendimento de Malafaia, Malta fez tanto por Bolsonaro que “esqueceu a campanha dele e tomou ferro”, disse o jornal “Folha de S.Paulo”.

A falta de prestigio de Magno Malta no círculo de poder de Bolsonaro é recente. Durante a campanha
ele chegou a ser chamado de ‘vice dos sonhos’ por Bolsonaro. O presidente eleito chegou a dizer que havia escrito ‘uma cartinha de amor’ para convencer seu parceiro ideal. Malta, no entanto, não aceitou a proposta.
Malafaia também deixa claro que “apoia intransigentemente” o presidente eleito e que não lhe cabe indicar ou vetar nomes. “Agora, presta atenção, apoiar uma pessoa não significa concordar com tudo o que ela faz.”
Esse é o segundo nome entre os favoritos de Malafaia que fica de fora do governo de Bolsonaro O primeiro foi o procurador regional da República Guilherme Schelb que acabou preterido por Ricardo Vélez Rodríguez no Ministério da Educação.

 A pressão em torno do futuro governo em abrigar Magno Malta não é nova. Tanto que o vice-presidente eleito chegou a se referir ao senador capixaba como um “elefante na sala”. A bancada evangélica como um todo teve suas pretensões frustradas. O grupo havia indicado uma lista com três nomes para pasta da Cidadania: Marco Feliciano (Podemos-SP), Gilberto Nascimento (PSC-SP) e Ronaldo Nogueira (PTB-RS). Fonte: Yahoo