Foto: Reprodução

As fortes chuvas que atingem diversos municípios baianos, especialmente no Extremo Sul e no Norte do estado, nos últimos dias, deixaram quatro mortos e um prejuízo que ainda está sendo calculado. Nesta segunda-feira (10), a Defesa Civil do Estado (Sudec) informou um saldo parcial das chuvas, que fez com que 20 municípios tenham decretado estado de emergência – um deles, inclusive, pediu auxílio ao governo federal para contornar a situação. Segundo o superintendente da Sudec, Paulo Sérgio Menezes, “ao decretar estado de emergência, o município pode fazer contratações emergenciais com dispensa de licitação”. Isso acontece para ajudar os afetados pelos desastres, a exemplo de aluguel social para as famílias que ficaram desabrigadas, doação de cestas básicas, cobertores, e colchões, além de outros materiais para apoiar os desalojados.

SITUAÇÃO

Até esta segunda, os municípios em situação de emergência são: Camacan (vendaval), Coaraci (onde os três jovens não identificados morreram), Dário Meira (inundação pela cheia do rio), Entre Rios (enxurrada), Ibicaraí (enxurradas e famílias desabrigadas), Itamaraju (cheia do rio Jucuruçu), Iuiú (chuva de 180 mm apenas em um dia e danos em estradas), Jacobina (130 mm em um dia, danos em casas e comércio), Jucuruçu (estradas e pontes caíram).

Também estão em emergência Mairi (famílias desalojadas e enxurradas), Malhada (estradas destruídas e produção de leite sem possibilidade escoamento), Manoel Vitorino (casas destruídas e estradas danificadas), Milagres (70mm de chuva em meia hora, calçamento danificado, estradas destruídas), Mucuri (alagamentos), Nova Canaã (destruição de pontes e bueiros), Nova Viçosa (desalojados e alagamentos), Tanhaçu (ponte destruída, casas e estradas danificadas), Teofilândia (famílias desalojadas) e Itabela (vendaval e casas destelhadas).

A 20ª cidade que está em situação emergencial é Macarani, onde foi registrada a quarta morte. Uma pessoa não identificada foi sugada para dentro de um bueiro. A cidade também está com parte do calçamento destruído após a passagem das águas.

Menezes também explicou que, após receber os chamados das prefeituras dos locais mais afetados pelas chuvas, o Estado tem providenciado o envio de máquinas para recuperação de estradas e pontes. Com informações do Correio